Resenha: toalha demaquilante da Macrilan

Oi, amores! Tudo bom?

O avanço da tecnologia tem trazido muito produto legal para quem gosta de maquiagem e esse aqui realmente me deixou de cara quando eu vi a proposta. Primeiro apareceu lá na gringa e a proposta é remover a maquiagem apenas com a toalhinha molhada, não precisa usar nenhum outro produto. Já pensou nisso?!

Pois é, a princípio eu fiquei um pouco desconfiada, afinal como pode um pano ser removedor de maquiagem? Mas acontece que esse aqui, versão abrasileirada feita pela Macrilan, contém fibras específicas que realmente removem a maquiagem sem precisar de nenhum produto, basta molhar.

Da primeira vez que usei, fiquei desconfiada e não botei fé, então claro que não funcionou, mas depois fui tentar de novo e fiquei CHOCADA com o resultado. Gente, essa toalha úmida realmente tira a maquiagem. Porém, veja bem, ela não LIMPA a pele, ela apenas REMOVE o excesso do produto, então claro que não substitui um sabonete e água micelar depois.

Ah, e quando estou usando máscara de cílios ou batom líquido, não acho que valha a pena tentar remover com a toalha. Ela tira, mas dá um pouco mais de trabalho, precisa esfregar com certa vontade, e a toalhinha fica toda manchada, então precisa ser lavada logo em seguida.

Essa é outra coisa que é preciso ter em mente: lavar bem a toalha. Como ela fica úmida, é um local perfeito para as bactérias fazerem a festa, então é importante lavar com sabonete antibacteriano e água quente. Não dá trabalho na hora de lavar, mas é preciso fazê-lo com regularidade, principalmente se você sofre com acne ou coisas do tipo.

Ela funciona melhor ainda quando eu passo um demaquilante que “derrete” a maquiagem, como o Ultrabland da Lush ou o demaquilante em óleo da The Body Shop; fica bem mais fácil de remover e a limpeza já é mais profunda. Eu amei a ideia desse produto, principalmente por ele ser mais sustentável que a maioria. Ah, e comprei essa lindinha por R$ 20, então tem ótimo custo-benefício também.

Anúncios

Indicações: favoritos de Novembro

Oi, amores! Tudo bom com vocês?

Gente, eu acho que vivi 14 vidas em novembro, mas nunca vi passar tão rápido! Foi tão depressa que demorei pra me lembrar quais seriam os favoritos desse mês, tudo misturou na minha cabeça e quase falei sobre os mesmos de outubro, pois um mês engoliu o outro e agora cá estamos, em dezembro. Dessa vez, a lista de favoritos está cheia de coisas novas, então aproveita pra pedir a papai noel.

Batom Nina do Pausa Para Feminices: Passei muito tempo sem usar esse batom, mas um dia estava com vontade de passar um rosa e o resgatei. Me apaixonei de novo por essa cor e usei por vários dias seguidos. É um rosa bem Barbie, um pouquinho de nada mais envelhecido do que um rosa verdadeiro. Fica bem lisinho nos lábios e dura horrores. É bem matte mesmo, então é bem resistente.

Hidratante para as mãos Zoella Wonder Hand: Uma coisa que eu não gosto é hidratante para as mãos, fica tudo escorregando, mas esses dias senti que precisava e tirei esse aqui da gaveta. Ele é em fininho e tem um cheirinho bem relaxante, nada muito forte, então aplico antes de dormir, a pele absorve bem e no dia seguinte sinto a diferença.

Toalha demaquilante da Macrilan: Comprei essa toalhinha há muito tempo, mas fiquei sem entender como ela funcionava e não usei. Um dia, meu demaquilante preferido acabou e resolvi testar. Gente, queria saber que bruxaria tem nisso, porque funciona muito bem. Basta molhar e tirar o excesso, depois passar no rosto como se estivesse enxugando. SAI TUDO! Em breve faço uma resenha completa dela.

Sabonete líquido Waterlily & Oil da Nivea: O que eu mais gosto desse sabonete é o cheirinho de coisa limpa – óbvio. É super refrescante e dá bem aquela sensação de banho bem tomado; é um perfume bem levinho de flor, não irrita e fica bem suave na pele. Um poucuinho só é o suficiente e ele espuma bastante, dá uma sensação de coisa luxuosa.

Loção de limpeza facial Ultrabland da Lush: Fiz uma resenha desse produto recentemente e adicionei aqui nessa lista por ele ser dois em um; primeiro, ajuda a tirar a maquiagem e ainda hidrata bem a pele. Ele é um creme bem grossinho que derrete a maquiagem ao mesmo tempo que não agride, to amando demais.

Lembrando que não teremos um favoritos de dezembro, pois em janeiro sai os favoritos completos de 2017. Preparados?

Resenha: loção de limpeza facial Ultrabland da Lush

Hello, amores! Tudo bom com vocês?

Como uma pessoa que usa muita maquiagem, eu preciso sempre de demaquilantes que não destruam completamente meu rosto na hora de remover. Já testei alguns e agora foi a vez do famoso Ultrabland da Lush, uma loção que “derrete” a maquiagem na hora de tirar e ainda hidrata a pele no processo.

A princípio, achei que não ia valer a pena ou que não ia funcionar, por esse produto ser quase que literalmente uma pasta bem oleosa. Mas o que faz o efeito é justamente essa textura. Para remover a maquiagem, eu coloco um pouco no rosto e vou massageando até sentir que já aderiu bem a pele. O produto meio que vai derretando a maquiagem, soltado-a da pele.

Depois que já está mais ou menos derretido e o Ultrabland já esquentou na pele, pego uma toalhinha úmida – algodão também funciona, mas dá bem mais trabalho e gasta bastante – e vou limpando o rosto como se estivesse enxugando o produto. Colocar o rosto em água corrente não funciona, pois o produto é oleoso, não tem como “enxaguar”.

Meu medo era que a pele ficasse com resquício de produto, ficasse oleosa ou que simplesmente não removesse a maquiagem, mas nada disso acontece. O Ultrabland sai inteiro na toalha, assim como a maquiagem, dá pra ver bem. A pele fica super macia e sem nada de resto da loção. Depois, lavo com um sabonete líquido. Isso é o suficiente para garantir que a pele está limpa.

Porém, como no começo eu desconfiava, ainda fortalecia a limpeza com um pouco de água termal em um algodão. Depois de fazer algumas vezes, percebi que o algodão vinha 98% limpo, então era um passo desnecessário. Foi uma surpresa muito boa e super recomendo, pois mesmo com a pele oleosa, ele não decepciona.

Qual é a melhor esponja: Real Techniques ou Macrilan?

Oi, amores. Tudo bom?

Demorou, mas cheguei nesse amor por usar esponjas de maquiagem. Finalmente! Vendo as pessoas usarem, nunca entendi muito bem como uma esponja poderia ser melhor que um pincel, mas posso dizer com toda certeza hoje de que é sim e não quero mais largar.

Eu já tinha testado duas esponjas antes e não gostei nem um pouco, continuei sem entender o motivo de tanto amor. Mas é aquela coisa, se não for o produto certo, nem adianta. As últimas mais recentes que eu comprei foram a da Real Techniques (laranja) e da Macrilan (rosa) e queria comparar essas duas, pois sei que são marcas bem conhecidas, mas de mercados diferentes.

Para mim, não pode faltar esponjinha na hora de aplicar base, corretivo e pó. Faz toda diferença no acabamento e é bem mais prático que um pincel; faço tudo muito mais rápido, pois além de ser maior, é uma ferramente só para tudo, né?!

Usei primeiro a da Real Technique e fiquei completamente apaixonada. Ela é super macia, mesmo se não estiver molhada, deixa a base com o aspecto de pele mesmo, é super rápida na aplicação e não absorve muito produto, além de garantir uma cobertura tão boa quanto a base promete. A diferença foi tanta, que eu fiquei logo querendo testar uma esponja brasileira que fosse correspondente, pois a da RT é um pouco cara.

Achei a da Macrilan super acessível e lembrei que alguma blogueira já haviam falado sobre ela, então não perdi a oportunidade de comprar. Bem, acontece que fui com muita sede ao pote. A esponja realmente aplica base bem, mas parece que estou dando murros no rosto. Ela é bem firme e nem molhando ela ajuda; apenas cresce, não fica mais macia.

Por ser mais grossa, ela não absorve produto, mas sinto que o acabamento não fica tão bom. É como se a base não “assentasse” na pele, sabe?! Fica uma cobertura muito boa por causa disso, mas acabo precisando de mais produto e fica uma quantidade exagerada no rosto.

Infelizmente, nesse caso, ainda prefiro a versão internacional e mais cara. Honestamente não me vejo mais fazendo maquiagem sem usar essa esponja da RT. Qual é a sua preferida?

Desafio do batom líquido: quais são os preferidos?

Hello, amores! Tudo bom com vocês?

Um dia desses eu percebi que a quantidade de batom líquido que eu tenho é um pouco acima do necessário para quem tem uma boca só, então pensando nisso pensei em me desafiar. Queria ver quantos dias seguidos eu conseguiria usar batom líquido, sendo uma cor diferente cada dia. Considerando que ele seca bem os lábios, eu diria que consegui por um bom tempo e vim trazer para vocês os meus preferidos.

Às vezes é um pouco difícil de perceber a diferença entre uma fórmula e outra de batom, mas eu notei que, usando um depois do outro, essas diferenças ficam muito mais nítidas. Usei uma cor diferente por dia por oito dias e cheguei a algumas conclusões. A primeira delas é: não façam isso. Os lábios acabam ficando muito ressecados e pode ser difíicl recuperar. Eu cuido bem, então não senti muito os efeitos, mas depois de oito dias, dá até uma agonia.

A segunda coisa que senti foi a diferença de duração. Mesmo entre batons da mesma linha, dá pra sentir uma diferença leve. Os batons Pausa Para Feminices, por exemplo: os batons regulares duram mais do que os que tem glitter na fórmula. Mesmo não sendo difícil de reaplicar, eu consegui notar bem que os batons matte opacos tem uma duração um pouco melhor, enquanto os com brilho saem quando eu como.

Já a fórmula do batom da Quem Disse Berenice tem uma duração parecido com as do batom com glitter do Pausa Para Feminices, mas eles saem da boca de forma mais graciosa. Enquanto os da PPF vão saindo no meio e deixando aquele círculo sem batom, os da QDB saem igualdamente da boca toda, deixa só um manchadinho.

Também notei quando a textura, no quesito conforto, que as fórmulas com glitter da PPF e da linha Bruna Tavares são mais confortáveis do que os regulares e se assemelham ao da QDB nesse sentido. Eles parecem a textura mais fina, fica menos pesado nos lábios – talvez até por isso mesmo saiam mais rápido, enquanto os da PPF parecem deixar uma camada mais carregada.

Notei muita semelhança no quesito pigmentação, nenhum desses batons deixa a desejar nesse quesito. Na primeira passada, já tem a cor perfeito e fica bem nivelado. Não craquela nem fica acumulando na linha fina. Todos eles são muito shows nesse quesito e não sei se consigo escolher um favorito – mas como passo muito tempo na rua, acabo escolhendo mais aqueles que sei que vão durar mais.

E para vocês, qual é o melhor batom líquido? Deixa aqui nos comentários!

Resenha: hidratante corporal Nivea Sentidos


Hello, amores! Como vão vocês?

Então, vai chegando o verão, vai ficando mais complicado hidratar o corpo, não é?! Tudo fica muito quente e desconfortável, grudento e suado. Não dá nem vontade de passar nada, mas a pele sofre muito e chega uma hora que a gente tem que dar o braço a torcer mesmo. Foi pensando nesses dias mais quentes que fui atrás de um hidratante mais leve e encontrei esse da Nivea.

Ano passado, por sorte, eu descobri que a Nivea tem hidratantes de várias intensidades e você pode escolher conforme sua necessidade. Da textura mais leve a mais pesada, eles tem o hidratante ideal para o tipo de pele e estação do ano. Eu queria o mais leve possível e encontrei algumas boas opções na linha Sentidos, que tinha vários aromas mais leves e alguns medianos.

Para saber a expessura do hidratante, basta olhar no verso do pote, pois há um medidor. Optei pelo que estava na última, a textura mais leve, mais fluida. O produto é quase água de tão fininho e é super refrescante de passar, além de ser absorvido mais rápido. Consigo passar mesmo quando estou morrendo de calor e não fica aquela coisa grudenta chata.


Claro, por ser leve, a potencia dele enquanto hidratante não é a mais poderosa, mas hidrata sim, e bem. Minhas pernas são mais mais negligenciadas no quesito hidratação e consigo sentir uma boa diferença quando uso esse hidratante. Ele também tem um cheiro de fruto bem suave, cheira de coisa limpa, também acho bem relaxante.

A linha tem outros aromas, como mel, mas eu gostei desse por dizer ser mais energético do que calmante, o que eu gostei bastante. Ele realmente é mais refrescante, um tipo de aroma mais de dia a dia mesmo – mas uso pra dormir, pois sou dessas. Até o verão acabar, só quero saber desses hidratantes levinhos da Nivea mesmo.

Resenha: esponja de maquiagem da Macrilan

Oi, amores! Tudo bom?

Então, um mês desse falei aqui eu estava amando usar esponjinha de maquiagem para explicar base. Estava usando a da Real Techniques, mas como ela é bem cara, pensei em procurar uma alternativa. A Macrilan é uma marca bem conhecida e sei que os pinceis deles são muito bons, como as esponjas estavam com um preço super em conta, R$ 15, resolvei testar  e agora vim contar para vocês o que achei.

Uma coisa que me impressiona muito na esponja da Real Techniques é como ela é macia, mesmo estando seca. Eu gosto de usar sem molhar mesmo, mas se colocar debaixo de água correndo e dar uma expremidas, ela cresce muito e fica ainda mais macia. Não gosto de usar molhada por minha pele ser bem oleosa.

Quando abri essa da Macrilan, já fiquei decepcionada. Ela é dura em um nível histórico, mas dura ainda que a que eu tinha testado de uma outra marca menos conhecida, que eu não consigo lembrar o nome de jeito nenhum, de tão aleatória. Pensei que ao molhar a situação iria melhorar, mas não foi o caso. Ela cresce muito, acho que três vezes o tamanho original, mas não fica nem um tiquinho de nada mais macia.

Por ser tão densa, ela não suga nada do produto, tanto que nem lavei para tirar foto. Dá pra ver onde o produto tocou, é possível notar que a base não foi absorvida. Claro que aplica o produto na pele, afinal é como aplicar com qualquer outra coisa, mas meio que só arrasta a base e não “assenta” ele como a esponja da Real Techniques faz, que meio que “casa” a base com a pele por ter uns poros mais abertos.

Acabo fazendo o acabamento final com a esponja da RT e sinto que a esponja da Macrilan acaba precisando de mais produto, por mais que não absorva. Fiquei bem decepcionada com a performance dessa esponja; a única coisa que achei positiva é que a cobertura da base fica mais alta, porque a pele fica mais sobrecarregada de produto – mas isso acaba deixando oleosa mais rápido, então no final nem isso salva.

Infelimente, ela foi baratinha, mas não deixou de ser um desperdício. Vou continuar investindo na esponja da RT que, mesmo que cara, realmente me dá o melhor resultado, agilidade e é mais macia, então não fica parecendo que você está esmurrando a própria cara ao aplicar.

Resenha: iluminador Fenty Beauty by Rihanna


Olá, amores! Como vão vocês?

Quando eu vi os iluminadores que a Rihanna estava lançando, eu fiquei com a cara no chão. Eles são daqueles que bateu a luz, PAM, um reflexo intenso que parece um espelho. Felizmente, quando a linha foi lançada, minha mãe estava na Europa, então ela trouxe pra mim o duo de iluminadores Fire Crystal/Lighting Bolt e depois de usar quase todo dia, vim contar para vocês o que achei.

Antes de mais nada, fiquei de cara com a embalagem. A caixinha é preta e branca e parece ter desenhos em grafite, muito linda, achei bem moderna e bem o estilo edgy da Rihanna. A embalagem de próprio iluminador também me deixou de cara; a forma geométrica dele é super elegante e, mais uma vez, moderna, e tem aquela vibe de coisa cara, sabe?! Agora o que me pegou de surpresa foi o efeito da embalagem.

Nas fotos que vi pelo Instagram, o compacto parecia ser um branco normal, mas na verdade ele tem partículas de brilho meio roxo, meio furta-cor, que quando bate a luz fica muito lindo. Tentei tirar uma foto de um jeito que desse para ver o efeito, mas fiquei hipnotizada, porque ao mesmo tempo em que é super discreto, é maravilhoso e muito brilhante.

Agora falando sobre as cores: as duas se complementam maravilhosamente bem, são tons de nude meio rosado com brilho champagne. A maior diferença é o acabamento entre eles; enquanto o Fire Crystal tem um efeito bem mais frost, ou seja, deixa aquele brilho que parece que ta “colado” na pele, que parece gelo, o Lighting Bolt tem mais glitter.


O que eu gosto de fazer é misturar os dois; primeiro faço aquela camada mais delicada com o frost, criando meio que uma caminha, e depois venho com o glitter por cima, para um brilho mais intenso. Quem acompanhou minha aventura no instagram, deve ter visto que tinha um pouco de dificuldade mostrar ele em vídeo, mas o problema real mesmo era a questão da luz.

Na luz natural, esse iluminador ficar bem mais discreto; ele gosta de aparecer mais quando há uma lâmpada acessa ou uma luz não muito geral, aí ele fica super PAM mesmo, deixa aquela vibe bem “pele de metal”, com um reflexo surreal de tão lindo. Para o dia a dia, ele é muito bom. Não fica aquele brilho marcado de festa, mas a cada virada é uma surpresa.

A fórmula dele também é incrível, super, super macia, não esfarela, parece até ter um toque cremoso quando você passa o pincel. A pigmentação é incrível, não precisa ficar adicionando mais e mais, a primeira passada já dá um PAM lindo. Além de tudo isso, ele dura o dia inteiro sem oxidar e eu diria até que o brilho fica mais intenso ao passar do tempo.

É um iluminador incrível e tenho usado no dia a dia tranquilamente. Ele não é pesado, não dá trabalho na hora de passar.e fica um efeito muito maravilhoso, chega fico mais feliz usando ele. Amei demais e queria muito testar os outros da linha!

Preparando a pele com a linha Porefessional da Benefit

Oi, amores! Tudo bom com vocês?

Eu uso o primer Porefessional há bastante tempo, até já fiz resenha sobre ele, mas ele ficou tão famoso que acabou ganhando uma extensão na família, que é o Porefessional Matte Rescue. A princípio, eu não sabia muito bem como seria a melhor forma de usar esses produtos, mas agora que descobri vim conversar com vocês sobre essa poção mágica que descobri.

Antes de mais nada, é importante entender qual é a função exata de cada um desses produtos. O Porefessional é um primer que promete diminuir a aparência de poros e dar uma acabamento mais bonito a pele, quase como um blur das imperfeições. Ele tem uma textura aveludada, então também ajuda na aplicação da base e melhora a aparência. Já no caso do Matte Rescue, ele tem a função de dar aquela segurada na oleosidade da pele, mantendo a base matte por mais tempo.

Porém, o Matte Rescue não é um primer – não, não se trata de dois primers com efeitos diferentes, mas sim realmente produtos de propostas diferentes. O Matte Rescue é quase como um hidratante, ele tem uma textura em gel bem fininha e um cheirinho de hortelã bem refrescante, que a pele absorve super bem. Quando passo ele, deixo uns 15 minutos para garantir que vai ter a melhor aderência no final de tudo. Ele serve como um cuidado para a pele, uma preparação para começar a maquiagem.


Já o Porefessional é mesmo um primer, mas nesse caso, ele é classificado como o primeiro produto de maquiagem do look, então vem depois que o Matte Rescue estiver aplicado e sequinho. Então eu diria que dá pra usar o Porefessional sozinho, mas o Matte Rescue não, porque ele não é primer de maquiagem.

Quando faço esse combo dos dois, percebo uma diferença enorme em vários aspectos. A maquiagem fica com acabamento mais bonito, disfarçando bem os poros, além de durar mais. Mesmo que a pele fica oleosa, a base não sai, ela fica meio que fixa na pele por causa da boa preparação. Dá até um trabalhinho a mais de remover a maquiagem no final do dia, pois dá uma agarrada mesmo da pele.


Juntar esses dois produtos não é o tipo de coisa que eu faço todo dia, deixo para uma festa ou em uma ocasião em que eu precise que a maquiagem fique com um toque a mais de perfeição. Essa combinação é o tipo que coisa que se faz para uma noite fora mesmo, pois acaba sendo uma produção mais carregada.

Eu comecei usando o Matte Rescue errado, mas fico feliz de ter conseguido entender o propósito exato desse produto. Desses dois, qual é o mais interessante para você? Deixa aqui nos comentários.

Resenha: gloss da Fenty Beauty by Rihanna

Oi, amores! Como vão vocês?

Quando eu vi o lançamento da Rihanna, fiquei muito curiosa para testar esse gloss. Ele, por enquanto, é o único da linha e tem a proposta de ser universal, ou seja, deve ficar bem em todo mundo, independente de tom e subtom de pele. Achei legal toda essa tecnologia e testei, agora vim dizer como foi a experiência.

Primeiramente, eu amo MUITO a embalagem. Acho super elegante, amo o tom de rose gold da tampa e a geometria deixa tudo bem moderno. Ela é pesadinha, dá aquela vibe meio de coisa de luxo e a embalagem é de vidro mesmo, sabé?! Dá pra ver direitinho a cor e o brilho do gloss dentro.

Porém, essa cor que você vê na embalagem não é exatamente a cor do gloss. Ele tem um tonzinho bronzeador quando você aplica nos lábios, mas depois de um tempo some e fica, literalmente transparente. Fica parecendo que sua boca ta molhada, refletindo naturalmente, com umas partículas de brilho muito lindas.

A textura dele é bem incrível, você sente meio grossinho logo ao tirar o aplicador da embalagem e passar nos lábios, ele gruda nos lábios e depois fica super suave, não fica pegajoso quando você ta falando, sabe?! Fica só o brilho mesmo, não fica incomodando. Claro que ainda tem textura de gloss, então o cabelo gruda como sempre, mas não fica colando os lábios.

Não acho que ele seja daqueles que dá a impressão que o lábio ta maior, como o Butter Gloss da NYX, mas com certeza chama atenção porque reflete feito espelho. Nesse swatch da foto, fiz questão de angular de uma forma que desse pra ver a luz batendo direto nele. Ele fica bem assim nos lábios, bateu luz, cega todo mundo.

Também experimentei usar por cima de um batom líquido e ele se comporta da mesma fora e não notei ele alterando a duração do batom, só na parte interna da boca, onde acumula naturalmente qualquer batom, ele meio que deu uma “amolecida” na batom líquido, mas nada trágico. O gloss tem a mesma duração por cima de um batom que tem sozinho, mas ele é um pouco complicado de aplicar com um pincel.

Por ele ser grossinho logo de entrada, acumula o pouco no pincel e não fica tão carregado de brilho assim. Evitei passar direito com o aplicador do gloss para não sujar e depois colocar de volta no produto, manchado de batom, mas realmente foi difícil com um pincel. Vou continuar procurando uma maneira melhor de aplicar sem ser direto do aplicador.

Esse gloss é tudo, é o melhor para o dia a dia por não ter cor, é o melhor para uma festa por super refletir a luz e dar um up em qualquer batom, tem uma textura maravilhosa e um cheirinho de baunilha, mesmo quando começa a sair não é aquela coisa desagradável, não resseca, não cola os lábios e ainda combina com todo e qualquer look.

Quero usar com tudo, fico me sentindo super poderosa quando uso. Espero que chegue logo no Brasil, mas a Sephora nacional já disse que não tem previsão para esse ano, infelizmente. Eu quero muito testar a base também, então espero que consigam trazer e, mais importante, que tragam todas as cores. A resenha do iluminador chega em breve, o que acham?!